Inovação

Segurança em condomínios: conheça as 9 exigências mais modernas

Quando se pretende adquirir um imóvel residencial, é necessário conferir a qualidade, a localização do empreendimento, o acabamento diferenciado e itens de conforto, que também pesam muito na escolha. Porém, há outro fator importante que, atualmente, toma a dianteira no momento da decisão: a segurança.

E não é para menos! O investimento na segurança em condomínios resguarda não somente o patrimônio dos moradores, como mantém são e salvo o bem mais precioso que se pode ter, a família.

Pensando nisso, listamos nove das soluções mais modernas para a segurança em condomínios — muitas delas já estão disponíveis nos empreendimentos de alto padrão. Vamos conhecê-las?

1. Biometria

A identificação por biometria pode ser usada tanto em um modelo tradicional de portaria — com vigilantes presenciais — quanto em um sistema de portaria remota. A tecnologia consiste no uso de características exclusivas dos indivíduos, como impressão digital ou formato da íris, para identificá-los.

Portanto, as impressões digitais dos moradores e funcionários do edifício devem ser previamente registradas em um cadastro de pessoas autorizadas a adentrar o local — método mais usual nos condomínios. Dessa maneira, é possível estabelecer permissões para utilizar elevadores ou mesmo para circular em determinados espaços. A maior vantagem dessa ferramenta é que, ao contrário da senha de segurança, é impossível transferir ou compartilhar o acesso com terceiros.

2. Identificação de placas

Com o objetivo de aprimorar a segurança, não são apenas as pessoas que devem ser identificadas. É preciso registrar também os veículos de moradores e visitantes. Equipamentos similares àqueles utilizados no controle de tráfego podem ser instalados na entrada da garagem dos edifícios, permitindo a rápida identificação de placas e, caso haja autorização oficial, a integração de dados com os órgãos de trânsito. Isso possibilita uma ação rápida no caso da entrada de veículos suspeitos — ou não autorizados — no condomínio, e também se houver roubo e furto de veículos.

3. Video Analytics

Os circuitos fechados de TV (CFTV) já são amplamente conhecidos — e a cena de uma pessoa em uma sala cheia de telas, analisando todas as imagens, é formada facilmente em nossas mentes. Mas, e se as imagens forem analisadas por um software? É isso o que propõe o Video Analytics.

Com base em uma análise prévia da rotina e com o reconhecimento das pessoas e dos veículos que circulam pelo condomínio, um software especializado analisa padrões e consegue identificar movimentação suspeita e estranha à rotina do edifício, acionando a central de segurança. Trata-se de um sistema que oferece uma resposta muito mais ágil na ocorrência de problemas.

4. Monitoramento móvel

Outra forma de vigilância muito interessante é o monitoramento móvel. A exemplo da automação residencial — que permite, por exemplo, acender e apagar as luzes da sua casa de onde quer que você esteja — essa forma de monitoramento possibilita acompanhar o que acontece em sua residência a partir do celular. Sem dúvida é um recurso valioso quando se trata da segurança em condomínios!

5. Drones

Essas pequenas máquinas voadoras guiadas a distância são tão versáteis que já vêm sendo usadas até para fazer entregas domiciliares. E o principal uso dos drones, hoje, é em filmagens, pois eles permitem tomadas de ângulos inalcançáveis por outros meios.

E é esse atributo que chama a atenção para o seu uso na vigilância, garantindo a segurança em condomínios. O fato de ser guiado a distância mantém o vigia a salvo e a mobilidade permite varrer grandes extensões do terreno — o que elimina um grande problema no monitoramento por câmeras: o ponto cego.

6. Câmeras acopladas aos vigilantes

A maioria dos empreendimentos de alto padrão conta com a guarita blindada como um dos principais elementos para garantir a segurança daqueles que moram e trabalham no condomínio. Assim, é possível contar com um porteiro ou vigilante que vai ter contato direto com todos aqueles que entram e saem do prédio.

Nesse caso, a segurança depende da correta condução de situações críticas pelo vigilante. Com uma câmera acoplada à lapela ou ao boné, os seguranças podem ter uma ferramenta útil para identificar invasores e pessoas mal intencionadas.

7. Portaria remota

A portaria remota é uma inovação que oferece um controle contínuo e eficiente na entrada e saída de pessoas em um edifício, mas é indicada para locais com menor movimentação. Por esse motivo, e também por representar um elevado custo operacional, recomenda-se que os condôminos decidam juntos pela implantação ou não dessa modalidade de portaria.

Essa tecnologia utiliza um grande aparato eletrônico — circuito de câmeras, sensores de presença e sistema de voz — conectado, via internet, a uma central de monitoramento onde profissionais especializados acompanham o movimento do condomínio 24 horas por dia. Em caso de falta de energia, todo o conjunto é alimentado por baterias ou geradores, garantindo a vigilância constante e sem interrupções.

8. Superalarme

Ainda que se utilize mais de um recurso para incrementar a segurança do condomínio — com controle e registro de acesso de pessoas e veículos e monitoramento 24 horas por vários meios —, deve-se pensar em dispositivos a serem acionados caso ocorra uma invasão.

O superalarme é a evolução de um recurso bastante utilizado. A exemplo dos alarmes comuns, ele é acionado por sensores que detectam a presença de estranhos, mas a diferença está no som emitido. Com potência superior a 100 decibéis, esse sistema causa um mal-estar que torna impossível a permanência no ambiente.

9. Fumaça de segurança

Assim como o som ensurdecedor do alarme, a fumaça de segurança é acionada por sensores de presença e tem o objetivo de repelir intrusos. Assim que se detecta a presença indesejada, uma cortina de fumaça é liberada, atrapalhando a visibilidade e a permanência dessas pessoas no local.

Todos esses dispositivos são o que há de mais moderno para garantir a segurança em condomínios. Como mencionado, algumas dessas ferramentas e inovações já são disponibilizadas pelas melhores construtoras em seus empreendimentos de alto padrão. Assim, esse é um ponto muito importante a se considerar no momento de adquirir o seu próximo imóvel.

Porém, caso você não conte com alguma dessas tecnologias no seu prédio, mas considera a sua implantação indispensável, discuta o assunto com os outros condôminos em assembleia. Certamente vocês vão decidir pelo que for melhor para todos.

Para receber mais dicas como estas e ainda ficar por dentro de soluções tecnológicas em condomínios e edifícios residenciais, assine a nossa Newsletter!

O que você achou dessa matéria?