Arquitetura e Design

Arquitetura minimalista tem a ver com você? Descubra aqui!

08/07/2019
arquitetura-minimalista-decoracao

O que você considera como o mínimo para alguém sobreviver? Então você acha que vive dentro desta margem ou que seu dia a dia é cheio de excessos? Como avaliaria, por exemplo, a decoração de sua casa? 

Saiba que é possível ter ambientes completos – muito bonitos e totalmente funcionais – mesmo promovendo reduções. De acordo com alguns especialistas na área, tudo que é excesso em interiores deve ser subtraído!

“Menos é mais”! Isso foi o que disse um dos maiores artistas do século XX, Mies van Der Rohe. Claro, essa sua frase pode não ter sido muito original, mas é verdadeira. Ele se referia a um modelo baseado na ideia de que a arquitetura e o design, para serem considerados bons, não precisam de muito. 

Do mesmo modo como as pessoas também não precisam de muito para sobreviverem. E isso é algo positivo!

Afinal, as artes não devem ser complicadas. Elas podem ser simples e ainda sim servirem bem ao seu propósito. O mesmo é possível para a decoração de interiores. O mais importante é que todos os elementos que a compõem sejam funcionais, resistentes, confortáveis e duradouros. 

No mais, racionalização pode ser a resposta! Só não se pode confundir essa simplicidade com simplismo – são coisas diferentes!

Um pouco sobre a arquitetura de vanguarda

Na virada do século XIX para o século XX, muitas mudanças estavam acontecendo nas sociedades. As pessoas passaram a questionar os modelos políticos, educacionais e econômicos vigentes. 

E isso tudo, obviamente, foi refletido nas artes. Perguntava-se se a arquitetura e a decoração poderiam ser levadas adiante do mesmo modo. Será que era mesmo necessária tanta ornamentação?

Durante o Período Entreguerras, os descontentamentos ficaram ainda mais evidentes. Não era coerente sustentar ideias baseadas em modelos ultrapassados enquanto coisas horríveis aconteciam com o mundo. 

Certos padrões precisavam ser repensados – ou talvez as coisas nem precisassem seguir um padrão pré-estabelecido. Assim, surgiram os movimentos de vanguarda e tendências como a do minimalismo.

O estilo minimalista

O estilo minimalista “estourou” mesmo com o pós-modernismo. Nesse tempo, os artistas passaram a explorar novos estilos, principalmente aqueles surgidos em outros países. Das suas pesquisas resultaram várias boas ideias. 

O “minimal art” ou a “arte minimalista” é uma proposta diferente, com características únicas. Tem a ver com deixar os ambientes mais simples e viver uma vida mais básica – mas sempre com qualidade, claro!

A diferença desse modelo para outras formas de decoração pode ser descrita de maneira bem simples: tudo tem um propósito, uma utilidade, não é por acaso! 

Ornamentos, recortes, texturas, adições de cores, e qualquer outro detalhe que seja desnecessário é subtraído imediatamente da proposta. Os ambientes continuam funcionando, charmosos e até mesmo sofisticados.

Para obter tanto uma arquitetura quanto uma decoração minimalista é preciso ter domínio total dos espaços construídos. 

O projetista precisa fazer um controle maior da luz e das geometrias – que devem ser mais claras e rigorosas possíveis. E os layouts dos ambientes por ele idealizados precisam também ser mais bem trabalhados para ficarem extremamente funcionais.

Residências minimalistas costumam agradar a muitos. Elas sempre parecem claras e amplas – clean. Infelizmente, um descuido do decorador e seus cômodos acabam desinteressantes. 

Mas esse erro pode ser facilmente controlado adicionando um toque e outro de cor, de textura, de brilho – nada em excesso. Uma boa ideia para você é adicionar itens customizados em cantos da casa.

Como montar uma casa com decoração minimalista

Ambientes com decorações minimalistas costumam apresentar uma paleta de cores neutra, sobretudo em tons claros. Quase sempre seus revestimentos são em branco e bem polidos. 

Mas é possível ver muitos materiais crus também, como madeira, tijolo e concreto aparente, sem acabamento – a não ser que seja transparente. E os tons mais vivos ficam, então, para os detalhes, como uma colcha, uma almofada ou uma luminária, por exemplo.

Na hora de mobiliar os cômodos, pensando ainda no conceito de “minimal art”, arquitetos e designers optam pelo mínimo de itens com o máximo de funcionalidade. 

Quase sempre as peças escolhidas por eles têm linhas retas e acabamento liso. É possível ver também nos cenários algumas transparências em vidro, alguns brilhos em inox, e mais. 

E algum pequeno detalhe ou outro que quebra qualquer mesmice e que causa aquele efeito “uou”!

Use as imagens deste texto como fonte de inspiração. Observe em cada um dos exemplos como não se precisou de muito para criar uma decoração espetacular. 

Você também consegue! Lembre-se: menos é mais!

Estas dicas de arquitetura minimalista foram criadas pela equipe Viva Decora.

Você também pode gostar