Seu Imóvel

Quais são os custos extras com documentos do apartamento?

07/09/2018

Está prestes a adquirir um imóvel? Então, fique atento aos custos extras que podem pesar no orçamento na hora de bater o martelo.

Para evitar dores de cabeça, impostos e taxas com os documentos do apartamento devem constar no seu planejamento financeiro. Afinal, essas despesas podem representar até 8% do valor de avaliação do imóvel.

Para ajudar você, preparamos este post, que vai explicar melhor quais são os gastos com a documentação do imóvel. Continue a leitura e programe-se!

ITBI

A primeira e mais importante despesa com a qual o comprador de um imóvel deve arcar ao fechar o negócio é o Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis, o ITBI.

O tributo, que é cobrado pela prefeitura da cidade onde se localiza o apartamento, é essencial para realizar a transferência de propriedade do imóvel.

Cada cidade determina o valor a ser cobrado pelo ITBI. Em geral, o imposto representa entre 2% e 4% do valor do imóvel. Caso o tributo não seja pago, o cartório não poderá fazer o registro do bem no nome do novo proprietário.

Alguns bancos aceitam incluir o valor do ITBI no financiamento do imóvel. Assim, o comprador quita a pendência na prefeitura e, depois, o tributo — que, em algumas cidades, é chamado de Imposto sobre a Transmissão Inter Vivos — é acrescido ao saldo devedor longo do contrato.

Certidões

Para garantir que o imóvel não possui nenhuma pendência que impeça o negócio ou a posse por parte do vendedor, é preciso verificar uma série de documentos.

São certidões e certificados que garantem, por exemplo, que o bem não tem dívidas pendentes nem foi dado como garantia em algum outro negócio do proprietário anterior. No jargão imobiliário, esses documentos compõem o jogo de certidões.

Embora a verificação do jogo de certidões não seja obrigatória, é altamente recomendável retirar toda a papelada. Com o auxílio de um despachante, necessário para localizar e solicitar todos os papéis, o custo com esse item pode variar entre R$ 350 e R$ 700.

Taxa de avaliação

Quem financia o imóvel terá, ainda, que gastar com a vistoria dele. Trata-se de um procedimento por meio do qual o banco se assegura de que o montante financiado corresponde realmente ao valor do imóvel.

O custo da taxa de avaliação varia muito não apenas de cidade para cidade, mas também de banco para banco.

Escritura e registro

O próximo gasto com os documentos do apartamento será com a escritura e o registro do mesmo. Lavrada no tabelionato de notas, a escritura é o papel que atesta a realização do negócio, de acordo com os termos combinados entre o comprador e o vendedor.

Quando um imóvel é financiado, não há necessidade de lavrar a escritura, pois o próprio contrato de financiamento o substitui.

Já o registro é a atualização da matrícula do imóvel, feita no Cartório de Registro de Imóveis, identificando o nome do novo proprietário do apartamento. Assim como no caso da escritura, o valor do registro varia de cidade para cidade.

E fique atento: quando você compra o primeiro imóvel utilizando financiamento por meio do Sistema Financeiro da Habitação, ganha um desconto de 50% no valor do registro. Basta solicitar o abatimento diretamente no cartório!

Esses são os principais custos com os documentos do apartamento antes de efetivar a compra. Lembre-se de que, além dessas despesas, você ainda terá gastos com a mudança e com eventuais reformas. Por isso, capriche no planejamento financeiro.

Este conteúdo foi interessante para você? Gostaria de receber mais novidades sobre o mercado imobiliário e conhecer nossos empreendimentos? Então, entre em contato conosco!

Você também pode gostar