fbpx
Economia circular

Economia Circular: a importância da reciclagem em condomínios

Por conta do aquecimento global e dos inúmeros impactos causados pelo homem ao meio ambiente, a sociedade e o mercado estão tentando se adaptar a essa realidade. O objetivo é diminuir os prejuízos ambientais e preservar ao máximo os nossos recursos naturais, sempre de olho no futuro.

Uma das principais estratégias para alcançar esse objetivo é investir na Economia Circular. Muito relevante em diversos setores, esse conceito também tem se destacado no ramo imobiliário, mais precisamente, na construção e no desenvolvimento de empreendimentos diversos — como os de alto padrão que são desenvolvidos pela Cyrela.

Quer saber mais sobre o assunto? Neste post, explicamos tudo a respeito do tema — desde o que é a Economia Circular, a sua relação com a reciclagem e quais as iniciativas que envolvem os projetos da atualidade. Não perca!

O que é Economia Circular?

Para começar, vamos desbravar o conceito de Economia Circular. Basicamente, podemos dizer que essa proposta tem como foco repensar os hábitos econômicos que mantêm os produtos, materiais e demais componentes em circulação no mercado. Assim, aproveita o máximo de valor e utilidade entre os ciclos biológicos e técnicos desses elementos.

Tal proposta ainda se baseia nos processos básicos da natureza, em que todos os materiais são 100% reaproveitados pelo próprio meio ambiente. Logo, a Economia Circular procura aplicar esse mesmo modelo em projetos desenvolvidos pelo homem, sempre de olho no famoso conceito intitulado de “três R’s”, formado pelos pilares:

  • reduzir;
  • reutilizar;
  • reciclar.

Fora isso, a proposta inclui o uso de tecnologias e a criação de certos sistemas exclusivos para o reparo, o reuso e a chamada remanufatura. Juntos, esses processos são excelentes para criar uma reciclagem extremamente eficiente, em que as matérias-primas conseguem manter ou aumentar o seu valor após o uso primário.

É válido ressaltar que o termo Economia Circular apareceu após a junção de outras práticas já presentes no mercado. Entre elas, destacamos o cradle to cradle, o design regenerativo, a economia de performance, a biologia sintética, a biomimética, e por aí em diante.

São conceitos relativamente novos, criados no último século. Seu único objetivo é criar um modelo estrutural e preparado para reequilibrar a sociedade.

Princípios

A Economia Circular também é pautada por princípios — cada qual, voltado para desafios que são diariamente enfrentados pelo sistema industrial no momento. Veja quais são eles.

Preservar

Esse primeiro princípio tem como base o uso de recursos renováveis ou que apresentam um bom desempenho, de forma que o custo seja cada vez menor. Ainda vale destacar o aumento do famoso “capital natural”.

Ele cria condições próprias para que haja boa regeneração do solo, fluxos de nutrientes e outros processos indispensáveis para o desempenho saudável do ecossistema.

Otimizar a produção

Nesse ponto, a missão é dar vida a tudo o que, até então, não tem uma utilidade. Ou seja, estamos falando da reciclagem, da reutilização e de outras técnicas, como o upcycling. Assim, é possível fazer com que componentes e outros elementos continuem em circulação constante, contribuindo para a economia.

Criar processos eficazes

É necessário que a gestão dos recursos seja realizada de forma eficiente. Isso envolve o cuidado com o solo, a água, o ar, a extração de matéria-prima e qualquer outra prática que envolva a poluição sonora e ambiental.

Qual a relação entre reciclagem e a Economia Circular?

Quando falamos em Economia Circular, automaticamente, as pessoas costumam imaginar que se trata apenas de reciclagem. Embora esse seja um dos pilares do conceito, é importante ressaltar que essa estratégia vai muito além da simples gestão de resíduos.

Ela visa a um trabalho mais amplo, capaz de repensar modelos de negócios e otimizar uma série de processos. Com esse pensamento, é possível não somente criar serviços e produtos a partir dos resíduos, mas também, torná-los economicamente mais acessíveis ao público, além de ser ecologicamente corretos e eficientes.

Benefícios da Economia Circular

Existem muitas vantagens que podem ser aproveitadas por empresas — e cidadãos — que resolvem investir na Economia Circular. Abaixo, contamos quais são os principais benefícios, em curto ou longo prazo. Veja:

  • redução significativa dos desperdícios;
  • menos poluição;
  • possibilidade de reduzir os custos dos processos;
  • inovação e melhor performance;
  • bem-estar e mais engajamento dos indivíduos e da sociedade.

Não há como negar: tanto nas empresas, quanto dentro de casa, ou nos condomínios, a Economia Circular é uma excelente maneira de cuidar do meio em que vivemos e proteger nossos recursos naturais.

Caso você tenha gostado de se informar sobre o tema e queira continuar recebendo outros materiais e notícias a esse respeito, aproveite para assinar agora mesmo a nossa newsletter e receber conteúdos em primeira mão. Será um prazer!

[QUIZ] Apartamento padrão ou duplex: responda e descubra qual é o mais indicado para você?Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.