Financiamento

4 principais erros no financiamento imobiliário que você deve evitar

03/07/2019
erros no financiamento imobiliário

Na hora de comprar o tão sonhado imóvel de luxo, muitas pessoas preferem financiar. Essa prática comporta um investimento maior na residência desejada, sem comprometer o estilo de vida atual. Porém, para que esse próximo passo não seja em falso, é preciso evitar erros no financiamento imobiliário.

Tivemos uma conversa com Igor Vieira, gerente financeiro da Cyrela, para entender como podemos ajudar você a concretizar sonhos altos. A primeira dica que Igor passou foi sobre o planejamento para o futuro. O ideal é se antecipar ao momento próximo que a família viverá, pensando no hoje e no amanhã.

Para que você possa se preparar para lidar com as diferentes fases que envolvem a compra financiada de um imóvel, falaremos neste post desde a contratação do financiamento até o momento da entrega das chaves. Continue lendo e confira!

[QUIZ] Você sabe mesmo tudo sobre financiamento imobiliário? Confira aqui!Powered by Rock Convert

Principais erros no financiamento imobiliário e como evitá-los

Seja para morar, seja para investir, saiba como se prevenir desses erros na hora de financiar o imóvel. Boa leitura!

1. Negativação durante o processo

O principal erro no financiamento imobiliário é o restritivo, ou seja, a restrição de crédito para o cliente. Essa falha traz um grande volume de processos financeiros para imóveis que não vão adiante. Nas palavras de Igor:

Não importa o valor que esteja negativado, mas o fato de estar em restrição impossibilita que siga com o processo de financiamento habitacional.

A negativação acontece no atraso de contas de qualquer valor e de qualquer ordem — luz, água, cartão de crédito ou internet. Muitas pessoas acabam ficando tranquilas com o prazo de corte do serviço e se fiam nisso para pagarem depois as faturas.

Isso pode acontecer com qualquer um. Por exemplo, você fez uma viagem curta e nesse meio tempo venceu a conta de água. Por lei, eles fazem o corte do serviço somente após um mês do vencimento. Porém, a fornecedora pode incluir o seu nome em órgãos de proteção ao crédito desde o primeiro dia de atraso.

Ao voltar de viagem, você passa no banco para se informar sobre o financiamento imobiliário e descobre a restrição de crédito. O valor até pode ser pequeno e pago na hora, mas terá que esperar o reconhecimento do pagamento e a retirada do nome do órgão protetor. Um prazo máximo de cinco dias úteis para cada um dos procedimentos.

Além de esperar, a negativação atrapalha a pontuação de crédito que as empresas financeiras usam para basear a oferta do serviço. O score, como é chamado, soma pontos positivos todas as vezes que você paga em dia as suas contas, mas também subtrai pontos negativos cada vez que atrasa um pagamento. Quanto maior o score, melhor pagadora de contas é a pessoa.

A dica que Igor Vieira passa nesse momento é planejar-se um ano antes. Veja como:

  • usar DDA ou o débito automático, o que ajuda na organização para deixar as contas em dia;
  • evitar restrições no nome para não perder score;
  • não contrair dívidas grandes no cartão de crédito.

Tendo em vista que o financiamento imobiliário compromete a renda em até 30%, quanto menos compromissos financeiros tiver, melhor será para conseguir o máximo de valor para o imóvel dos seus sonhos.

2. Documentação incorreta

Esse erro no financiamento imobiliário acontece porque, geralmente, as pessoas compram o imóvel durante o processo de construção — que dura de 18 a 36 meses. Nesse período de um ano e meio a três anos, pode ocorrer um casamento ou divórcio com mudança de nome, por exemplo. Igor explica que o banco confronta todas as informações apresentadas nos documentos.

Vendo que a documentação precisa ser regularizada, o banco não dará continuidade no processo de financiamento. Isso, segundo Igor, acaba impactando em outras questões, como o crédito rápido. Quanto mais você demora para fechar o negócio, mais difícil será para conseguir o crédito devido ao comprometimento de renda.

Então, o ideal é providenciar quase que imediatamente os seus documentos pessoais atualizados, além de cuidar de outros documentos do imóvel, para evitar atrasos no financiamento.

3. Pouco entendimento do contrato

Um dos erros no financiamento imobiliário é não compreender totalmente o que está na contratação e, mesmo assim, fechar negócio. É muito importante que você compreenda exatamente o que está sendo transmitido. Alguns detalhes do contrato incluem os juros que incidirão em cada parcela, além de como funcionará o saldo devedor após a compra.

É comum que as documentações de habitação sejam extensas e com termos que poucos conhecem. Então, conte com a ajuda de advogados da sua confiança ou de assessorias especializadas. Veja outros pontos para observar:

4. Compras antes da entrega das chaves

De acordo com Igor Vieira, outro erro no financiamento imobiliário muito comum é não esperar as fases da construção terminarem e se antecipar à entrega das chaves, fazendo compras para a nova residência. Para aqueles que querem financiar a habitação somente depois de concluída as obras, esse pode ser um problema real.

As instituições financeiras só podem comprometer no máximo 30% da renda dos clientes em financiamentos habitacionais. Então, se em um curto período de tempo você contraiu dívidas, pode haver negativa na concessão do crédito, pois seus compromissos financeiros já são muitos. Assim, você acaba ficando sem a tão sonhada casa, mas com móveis e eletrodomésticos já comprados.

Uma dica muito importante é ter paciência e relaxar, esperando que todas as fases sejam cumpridas e entregues de acordo. Assim que receber as chaves, provavelmente o seu financiamento já estará aprovado. Aqui é o momento certo de pensar na decoração da residência.

E lembre-se de que a Cyrela está sempre pronta para ajudar você nesse momento tão importante!

Gostou das dicas e quer saber mais sobre financiamento imobiliário? Então, baixe nosso ebook sobre o tema!

Você também pode gostar