Arquitetura e Design

Dicas para acertar na escolha do tapete para a decoração do seu imóvel

18/04/2019
tapete decoracao

Os móveis são os itens mais relevantes para a ambientação de uma casa. Mas, o toque especial de cor e estilo dado à sua decoração fica por conta dos acessórios.

Estão nesta lista almofadas, mantas, cortinas, toalhas, colchas e tapetes. Peças assim são muito versáteis, podem ser facilmente trocadas a todo o momento e provocam efeitos visuais incríveis nos ambientes. Ou seja, valem a pena serem estudadas!

A função dos tapetes na decoração de interiores

Falando especificamente dos tapetes, tratam-se de peças de tecido ou de fibra que servem basicamente para revestir pisos. Mas, para qual fim? Bem, pode ter três motivos.

Primeiro, proteger as pessoas do frio provindo do chão. Contribuir para o conforto termo-acústico dos ambientes. E embelezar espaços – até demarcando certa área de planta baixa.

“O tapete delimita um ambiente, é o verdadeiro arremate de um espaço. Por isso é a última peça a ser escolhida para a casa.” – Monica Novaes, em reportagem da Revista Casa e Jardim.

Ambientações de interiores precisam ser funcionais, mas também bonitas e agradáveis. E o efeito visual dos tapetes – de cores, texturas e padrões – tem impacto nisso, manipulando sensações e alterando a percepção que as pessoas têm das decorações.

Tapetes podem dar mais vida aos espaços, mais profundidade, concentrar ou alongar circulações, medir distâncias, clarear ou escurecer cômodos.

Sem um tapete, um conjunto de sofás, poltronas e mesas pareceriam apenas peças soltas. Então, quer dizer que tapetes devem, sim, fazer parte do estudo de planejamento de layout de interiores.

E isso vale para praticamente todos os ambientes de uma casa – da cozinha a sala de estar, sala de jantar, dormitórios e banheiros. Para cada um destes setores é indicado um modelo diferente de tapete.

Os diferentes tipos de tapetes encontrados nas lojas de artigos para casa

No mercado, há muitos tipos de tapetes à venda. Eles são feito dos mais diversos materiais. E cada um deles possui tamanho, cores, estampas, formato e acabamento diferentes.  Alguns são fabricados em série, já outros são únicos, feitos à mão.

Alguns são de matéria-prima natural, outros de fibras sintéticas. É preciso que o decorador teste as opções que possui!

Os tapetes de fibras naturais, como pele, lã, sisal ou juta, têm uma qualidade elevadíssima em comparação com peças feitas em outros materiais. São bastante duráveis, contudo não devem ser colocados em ambientes de áreas molhadas.

Combinam bem com decorações em estilo rústico, mas podem ser usadas também em ambientes de visual moderno, contrapondo com peças industrializadas.

Agora, existem também os tapetes de materiais sintéticos, como nylon, poliéster, poliuretano, viscose, lycra, PET e mais. Peças assim são mais baratas. Isso não quer dizer que elas não são macias, quentes, duráveis, resistentes ou belas, pelo contrário.

E o melhor é que elas podem ser facilmente limpas e usadas em áreas de bastante movimento, inclusive sujeitas à umidade, sem apresentar danos.

A única desvantagem em inserir tapetes em interiores é a propensão de problemas de saúde para quem sofre com alergias e dificuldades respiratórias. Tirando isso, pode-se dizer que estas peças são ótimos acessórios para todo o tipo de decoração, seja para áreas internas ou externas.

Tapetes podem deixar os ambientes mais confortáveis, sofisticados e charmosos. Mas este efeito só é obtido com a escolha acertada!

Os critérios relevantes para escolha de um tapete para a casa

Já se sabe que há vários tipos de tapetes e que para cada um deles há muitas possibilidades de uso. Optar por uma peça ou outra vai depender de diversos fatores. Primeiro o gosto e as necessidades da pessoa.

E, segundo, o estilo de decoração estabelecido pelo projetista de interiores para tal ambiente trabalhado.

A escolha de tapete deve fazer relação com onde será colocada a peça e qual função que irá desempenhar – revestimento e embelezamento ou só embelezamento. Modelos de pelo curto acumulam menos pó.

Para dormitórios infantis, por exemplo, é melhor aquelas peças feitas de materiais de fácil limpeza – preferencialmente as que possam ser lavadas na máquina.

 

A espessura do tapete, melhor dizendo, a altura de seu pelo deve ser compatível com o fluxo de pessoas e de animais no ambiente. Indicam-se peças altamente resistentes e mais firmes para áreas como sala de jantar.

As mais sedosas, maleáveis, para dormitórios. As bem felpudas para salas de TV. E as delicadas, como as persas, em seda, para cantos de leitura, por exemplo.

Por fim, quanto às cores, tapetes lisos e claros são mais fáceis de serem inseridos em qualquer modelo de decoração, pois são neutros. Agora, os mais coloridos e estampados, com bordados e franjas, são capazes de levantar mais o astral dos ambientes.

E ainda tem aqueles em formatos mais ousados, como os redondos, que ficam lindos combinados com móveis de mesmo formato.

“Se o ambiente for muito colorido, opte por um tapete mais neutro, que canse menos o visual. Se for o contrário, abuse das novidades e adote até mais de um na sala de estar, por exemplo. Lisos e estampados convivem bem, mas escolha uma cor predominante.” – designer Cláudia Bergamasco, em reportagem de Revista Zap Imóveis.

Use as imagens apresentadas neste texto como fonte de inspiração para transformar o visual usando e abusando dos tapetes e outros acessórios.

Estas dicas de decoração com tapetes foram criadas pela equipe Viva Decora.

 

Você também pode gostar